Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

 


 

MoToRTeeN

     


 

          COLABORE

 

 

           


             PARCEIROS


 

LIGAS

            

    

 

 


 

UTEIS

      

 


 

NOSSO BANNER


Flag Counter

 

 



Total de visitas: 79909
Dicionario de Equipes




Apêndice:
 O ponto médio da linha interna de uma curva, para onde os pilotos 'miram' seus carros.

 

Apelação: Algo que uma equipe faz em nome de seus pilotos se ela sente que eles foram injustamente punidos pelos oficiais da corrida.

 

Aerodinâmica: O estudo do fluxo de ar sobre e em volta de um objeto, e portanto uma parte muito importante do projeto de um carro de Fórmula 1.

 


Aerofólios: As asas invertidas encaixadas na traseira do carro e no bico, que dão pressão aerodinâmica à maquina, ajudando a contornar as curvas.

 


Aquaplanagem: Quando as rodas de um carro perdem contato com a superfície da pista quando ela está alagada, deixando o piloto sem controle.

 

Ar Limpo: Ar sem turbulência, e que portanto oferece condições aerodinâmicas otimizadas, algo que beneficia um carro à frente dos outros.

 

Análise: Uma sessão de perguntas e respostas entre os pilotos e engenheiros depois de todas as vezes que eles correm, quando eles discutem o comportamento do carro e sugerem mudanças no acerto.


 

Arrasto: A resistência aerodinâmica experimentada enquanto os carros andam para frente.


 

Ajudas de pilotagem: Uma variedade de aparelhos eletrônicos, como suspensão ativa e controle de tração, que ajudava os pilotos a manter seus carros no melhor nível, com a melhor aceleração em todos os momentos. Eles foram banidos no começo dos anos 90.

 

Acordo de Concorde: O acordo no qual os construtores se propõe a cumprir com as regras da Fórmula 1. Implementado para garantir a estabilidade do livro de regras.

 

Aderência: A quantidade de tração que um carro tem em qualquer ponto dado, afetando portanto a facilidade do piloto manter o controle pelas curvas.

 


Aba de Gurney: Uma aba ajustável na traseira de uma asa, usada para alterar a quantidade de pressão aerodinâmica que aquela asa dá sem trocar as configurações da asa.


 

Aspiração normal: Qualquer motor que não seja super carregado ou com turbo. Não há indução forçada de ar.

 

Abandono: Quando um carro tem que sair da corrida por causa de um acidente ou falha mecânica.

 

Altura do chassi: A altura entre a superfície da pista e a superfície inferior do carro.

 

Análise técnica: Uma checagem técnica dos carros, pelos oficiais, para garantir que nenhum deles está fora do regulamento.

 

Asas-X: Pequenas asas montadas em cada lado do cockpit no começo de 1998, na busca por maior pressão aerodinâmica. Elas foram banidas quase que imediatamente.

 

Boxes:  Uma área da pista separada da reta de chegada por um muro, onde os carros são trazidos para trocas de pneus e reabastecimento durante a corrida, ou para mudanças no acerto durante os treinos e qualificação, cada parada em sua respectiva garagem.

 

Bolas de asfalto: Bolas da superfície da pista que se soltaram e ficam presas aos pneus dos carros. Estas podem tirar os pilotos de sua linha normal de corrida.

 


Barra estabilizadora: Uma parte da suspensão colocada para prevenir derrapagens. 'Santo Antônio' O arco de metal ou de fibra de carbono na traseira do cockpit, colocado para proteger a cabeça do piloto no caso do carro capotar.

 

Coletores de ar laterais: Buracos no final das laterais de um carro para tirar o fluxo de ar das rodas traseiras.

 


Cockpit: O local do chassi no qual o piloto senta.

 

Centro de pressão: Onde todas as forças aerodinâmicas de um carro se concentram. Assim como o centro de gravidade de um carro, este também precisa se localizar no meio do carro.


 

 

Chassi: A principal parte de um carro de corrida, onde se colocam o motor e a suspensão.

 


Chicane: Uma estreita seqüência de curvas em direções alternadas. Normalmente colocadas em um circuito para retardar a velocidade, freqüentemente onde antes havia uma curva de alta velocidade.


 

Carenagem: A seção de fibra de carbono colocada sobre o monobloco antes dos carros deixarem os boxes, assim como a cobertura do motor, do cockpit e o cone do bico do carro.

 


Célula de combustível: O tanque flexível usado como tanque de combustível.

 


Caixa de Brita: Uma caixa de brita na parte externa das curvas é colocada com o intuito de parar os carros que forem para lá.

 

Câmeras a bordo: As pequenas câmeras (5 kg) que são colocadas ao redor do carro (uma por carro), em uma variedade de posições.

 

Câmbio semi-automático: Um tipo de câmbio que exige que o piloto apenas pressione uma placa colocada atrás do seu volante para subir uma marcha e pressione a outra para reduzir uma marcha, sem ter que usar uma alavanca de câmbio ou o pedal da embreagem.

 

'Chacoalhada': Um breve teste feito quando uma equipe está testando uma parte diferente do carro pela primeira vez, antes de voltar e pilotar a 100% para fazer um tempo rápido.

 

Comissário: Um dos três oficiais em cada Grande Prêmio, apontado para tomar decisões em caso de mal-comportamento do piloto ou irregularidades mecânicas.

 

Comissão técnica: A parte da entidade que comanda o esporte responsável pelas decisões no regulamento técnico.

 

Controle de Tração: Um sistema computadorizado que detecta se as rodas traseiras de um carro estão perdendo tração - isto é, girando em falso - e transfere mais potência às rodas, com mais tração, usando a potência, portanto, mais eficientemente.

 


Chassi tubular: A maneira com a qual os chassis eram feitos até a introdução dos monoblocos na metade da década de 60, com uma moldura de tubos finos de metal cobertos com uma pele de metal.

 


Composto de pneu: O tipo de borracha usado na fabricação de um pneu, variando de macio, por médio até duro, com cada oferecendo características diferentes de performance e desgaste.

 

Corrida chuvosa: Declarada pelo diretor da prova, quando chove antes da largada de um Grande Prêmio se em todas as ocasiões anteriores que os carros estiveram na pista ela estava seca. Um treino extra de 15 minutos é introduzido entre o warm up e a largada. Se a chuva chega cinco minutos antes da largada, as equipes podem trocar seus pneus no grid e a largada acontece 15 minutos depois do previsto.

 

Defletor lateral: A parte do carro que sai dos lados do monobloco, ao lado do piloto, e vai até a asa traseira, cobrindo os radiadores.

 

Defeito localizado no pneu: Acontece quando um pneu desgasta apenas em um local depois de uma forte freada, ou numa rodada. Isto arruína o manuseio do veículo, causando muita vibração, forçando um piloto a parar nos boxes para colocar um novo jogo de pneus.

 

Defletores Laterais: Pedaços de carenagem colocados verticalmente entre as rodas dianteiras e o começo das laterais, para ajudar o ar a fluir mais suavemente pela lateral do carro.

 

Decaimento das rodas: O movimento sentido sob aceleração, freada e curvas.

 

Diferencial: A ligação entre a caixa de câmbio e as rodas


 

Difusor: A carenagem encontrada na traseira, embaixo de um carro, feita para controlar o fluxo de ar da maneira mais eficiente.

 


Damper: Um aparelho usado para controlar o movimento vertical da suspensão.

 

Efeito Solo: Uma técnica aerodinâmica que resulta do fato das laterais do carro selarem o ar debaixo dele, criando uma área de pressão negativa, que suga o carro para baixo, aumentando a pressão aerodinâmica proveniente das asas.

 


ECU (ou UCE): O cérebro eletrônico do motor - unidade de controle eletrônico - que ajusta o nível de ignição e fluxo de combustível para a melhor eficiência do motor.

 

Equilíbrio dos freios: Um botão no cockpit que altera a divisão dos freios do carro entre a frente e a traseira, de acordo com o desejo de um piloto.

 

Equilíbrio Aerodinâmico: Quando um carro tem equilíbrio na frente e atrás quanto ao fluxo de ar sobre ele. Sem isso, o carro estará desequilibrado e escapará na frente, caso haja menor pressão aerodinâmica na frente, ou escapará de traseira, caso haja menor pressão aerodinâmica na traseira.

 

Eficiência Aerodinâmica: Uma proporção que compara o arrasto do carro com sua pressão aerodinâmica.

 

Fiscal: Um oficial que tem o dever de tirar carros batidos ou abandonados e seus pilotos de posições perigosas ao redor do circuito, ou de agitar bandeiras para informar pilotos de perigos pendentes.

 

Freada com o pé esquerdo: Um estilo de frenagem popular nos anos 90, depois da chegada da embreagem na mão, para que os pilotos possam manter o pé direito no acelerador e dedicar o esquerdo às freadas.

 


Força-G: Uma força física equivalente a uma unidade de gravidade, que é multiplicada durante rápidas mudanças de direção ou elevação.

 

Forças Maiores: Uma situação na qual uma equipe ou um piloto não tem opções sob as circunstâncias. Freqüentemente citado como exemplo, se estiver chovendo muito forte, e um ou mais pilotos ficaram com um tempo fora dos 107% na qualificação, eles podem ser admitidos na corrida devido a forças maiores.


 

Guinada Oposta: Quando um carro faz uma curva com as rodas dianteiras viradas 'para dentro' da curva (isto é, no ângulo oposto da direção da curva), com o carro sendo 'virado' pelo acelerador.

 

Instabilidade traseira: Quando a traseira de um carro não quer fazer uma curva e tenta ultrapassar a dianteira enquanto o piloto passa pelo apêndice da curva. Isto normalmente exige uma correção através de uma guinada oposta.

 

Instabilidade dianteira: Quando a dianteira do carro não quer fazer uma curva e escorrega para frente enquanto um piloto tenta virar para o apêndice.

 

Levantamento: O oposto de pressão aerodinâmica, quando o fluxo de ar sob o bico, laterais e asas tenta levantar o carro da pista.

 

Largada Abortada: Quando a largada de uma corrida é cancelada por questões de segurança, como após um acidente, ou quando pilotos ou outras pessoas estão em posições perigosas quando as luzes vermelhas se apagam. Logo acontece uma nova largada.

 

Lastros: Fixados ao redor do carro para maximizar o equilíbrio e deixar o carro com o limite mínimo de peso.

 

 

Largada empurrada: Quando um carro é empurrado pelos fiscais, para que o motor pegue no tranco. Isto é legal apenas se o carro está numa posição na pista que não traz perigo aos outros. Caso contrário, a largada empurrada leva à desclassificação.

 

Largada Queimada: Quando um piloto deixa o grid antes das cinco luzes vermelhas se apagarem durante a largada. Os sensores detectam qualquer movimento prematuro, e uma largada queimada faz o piloto ser punido com 10 segundos de stop&go.

 

Mapeamento do motor: Uma técnica usada por uma UCE para combinar a taxa de ignição e o timing do motor.

 

Marcas de Pneus: A área de contato entre os pneus de um carro e a superfície da pista, vital em termos de tração e conseqüentemente no manuseio do carro.

 

Meia-asa: Um pequeno aerofólio colocado atrás da cabeça dos pilotos, acima da asa traseira, como tem sido visto desde o final dos anos 90.

 

Monobloco: Uma única peça onde o cockpit está, com o motor preso atrás dele e a suspensão em cada lado.

 

Muro dos boxes: Onde o dono da equipe, diretores e engenheiros passam a corrida, normalmente sob uma tenda para manter o sol e a chuva longe dos seus monitores.

 

Nomex: Uma marca do tipo de material a prova de fogo que é usado na fabricação de macacões.

 

Não-classificado: Quando um piloto ainda está pilotando no final da corrida, mas cobriu menos que 90% da distância total da prova.

 

Pressão aerodinâmica: A força aerodinâmica que é aplicada na direção vertical para baixo enquanto um carro anda para frente. Isto melhora a tração de um carro, e portanto facilita as manobras pelas curvas.

 

Placa final: A placa no fim de uma asa.

 

Pneu Intermediário: Um pneu que tem mais sulcos que o padrão de um pneu de pista seca, mas menos que um pneu de chuva, e é usado em condições mistas.

 

Placa redonda: O sinal preso a uma barra, em formato de pirulito, que é colocado na frente de um carro durante um pit stop para informar o piloto a pisar nos freios e depois engatar a primeira marcha, antes do carro ser colocado no chão, ainda suspenso no macaco.

 

Placas de câmbio: Alavancas em cada lado de um volante, com as quais o piloto sobe ou desce uma marcha.

 

Paddock: Uma área fechada atrás dos boxes, na qual as equipes mantém seus caminhões e seus motorhomes. Não há admissão para o público.

 

Parc Fermé: Uma área cercada na qual os carros são deixados após a corrida, onde nenhum membro de equipe poderá tocá-los até que eles sejam cuidadosamente examinados.

 

Pole Position: O primeiro lugar no grid de largada, ganho pelo piloto que fez a volta mais rápida durante o treino oficial de qualificação.

 

Protesto: O que uma equipe faz quando acha que outra equipe ou competidor transgrediu as regras.

 

Plano de referência: Um nível imaginário no qual partes do carro devem ser alocados, como altura mínima do carro ao chão ou as dimensões máximas da asa traseira.


Placa lateral da asa dianteira: Como o nome diz, esta placa aumenta a eficiência aerodinâmica tirando o fluxo de ar dos pneus dianteiros.


Pneu slick: Um pneu feito sem nenhum sulco, usado desde o começo da década de 1970 até 1997. Ótimos na pista seca, mas definitivamente não são uma opção para a chuva.


Qualificação: O treino oficial de uma hora, no sábado, no qual os pilotos têm no máximo 12 voltas para fazer o melhor tempo possível, com o piloto mais rápido largando na frente do grid na corrida do dia seguinte.


 

Suspensão Ativa: Um tipo de suspensão que muda automaticamente sua configuração com um computador que reage para regular a altura do carro sobre as ondulações. Foi banida no final de 1993.


 

Saídas de periscópio: Escapamentos que saem pelo topo das laterais do carro ao invés da traseira.


Safety Car: O carro que é chamado dos boxes para ficar à frente do líder da corrida, no caso de um problema que exija que os carros andem mais lentos, ou até a forte chuva passar ou os destroços de um perigoso acidente na pista terem sido retirados.


Saias: Extensões removíveis da parte inferior dos defletores laterais, que se estendiam até a superfície da pista no final da década de 70 para impedir que o fluxo de ar passasse por baixo do carro pela lateral, para que se alcançasse a área de baixa pressão necessária para o efeito solo.


'Splash and dash': Um pit stop rápido nas últimas voltas de uma corrida, quando um piloto entra nos boxes apenas para colocar alguns litros de combustível e garantir que ele chegue até o final.


Stop&go: Uma punição dada ao piloto por queimar a largada ou obstruir um carro tentando dar uma volta nele. A punição consiste no piloto ser chamado ao seu boxe e ficar 10 segundos parado - sem poder reabastecer nem trocar de pneus.


Semi-eixo flutuante: Suspensão em 'V' que conecta as rodas ao carro, com dois pontos de apoio em cada lado do monobloco na frente e dois pontos de apoio em cada lado do motor na traseira.


Stint: Às vezes, refere-se ao período de condução entre os pit stops.


Tanque flexível: Um tanque de combustível deformável que não só é mais fácil de ser colocado em um carro de corrida do que os cilindros de metal usados nos primórdios, mas também são menos prováveis de se danificarem durante um acidente.

 

Treinos Livres: Os períodos nas sextas-feiras e nos sábados de manhã de fins de semana de GPs, quando os pilotos saem para a pista trabalhando no acerto de seus carros, para o treino oficial que vem em seguida.


Telemetria: Um sistema que coleta dados relacionados ao motor e ao chassi e os envia a computadores na garagem, para que os engenheiros possam monitorar o comportamento do carro.


The Big One: Frase que descreve qualquer acidente envolvendo cerca de oito ou mais carros em uma prova.


Tração: O grau com o qual um carro consegue transferir sua potência na superfície da pista para seguir em frente.


 

Transponder: Um sensor colocado no carro para ativar um cronômetro ao lado da pista, que marca o tempo de volta e a velocidade do carro.


 

Turbo: Um motor que recircula seus próprios gases de exaustão para ativar um compressor que aumenta a indução do motor, dando maior potência.


Turbulência: O resultado da perturbação no fluxo de ar, causada por uma interrupção em sua passagem, como quando ele bate em uma asa traseira e seu fluxo horizontal é interrompido.


 

Venturi: Um tubo que se estreita, no qual o fluxo de ar é forçado a sair sob pressão.


Volta de apresentação: Esta é a volta antes da largada, quando os carros andam pela pista para formarem o grid novamente e largarem efetivamente.


Volta de teste: Uma volta feita ao se chegar em um circuito, testando funções como acelerador, freios e volantes antes de voltar aos boxes, sem mesmo cruzar a linha de chegada.


Volta de reconhecimento: Uma volta completada quando os pilotos deixam os boxes para formarem o grid de largada. Se um piloto decide fazer várias, ele deve passar pelo pitlane, porque o grid, na reta principal, estará cheio de pessoal das equipes.


Vácuo: Uma tática quando o piloto consegue ficar muito próximo do carro à sua frente e 'se esconder' atrás de sua asa traseira, beneficiando-se da redução no arrasto sobre o seu carro e ganhando maior velocidade para tentar a ultrapassagem antes da curva seguinte.


Visores removíveis: Tiras de plástico transparentes que os pilotos colocam sobre o visor principal dos seus capacetes antes da largada de uma corrida, e depois vão os retirando conforme eles ficam sujos.


Zona de Classificação: Foi introduzido na metade da década de 90. Para se qualificar para um Grande Prêmio, um piloto tem que fazer uma volta dentro do limite de 107% do tempo de qualificação do pole position.


Warm Up: Um período de meia-hora pela manhã do domingo de corrida no qual os pilotos e as equipes fazem os últimos ajustes nos acertos dos seus carros, correndo com o tanque cheio.


 

'Yaw': O movimento lado-a-lado sentido por um chassi sob aceleração, freada e curvas.